Mangueira para Sistema de Ordenha

As mangueiras são componentes fundamentais para o funcionamento do sistema de ordenha, conectando os diversos componentes entre si, por isso é importante a manutenção das mesmas integras e dentro do prazo de utilização.

As mangueiras de leite são responsáveis por fazer a ligação dos coletores ao sistema de ordenha, seja ele, balde ao pé, transferidor ou canalizada transportando o leite ordenhado do animal. Dentre as mangueiras também existem as de vácuo (ar), que conectam o sistema de vácuo a algum componente.

Mangueira para Vácuo:

Mangueira grossa ou principal do vácuo no sistema balde ao pé: responsável por alimentar de vácuo o latão/tarro para criar vácuo no mesmo e ativar a pulsação e iniciar a ordenha. O diâmetro interno se torna padrão em quase todas as marcas de equipamentos sendo uma mangueira 11.95 mm de diâmetro interno.

Mangueira dupla do vácuo: responsável por carrear o pulso do pulsador as teteiras, essa mangueira é comum a todos os sistemas de ordenhas. Os pulsadores alternados importados ou nacionais trabalham com o mesmo diâmetro 7.2 mm interno e dessa forma é extremamente importante atentar para os comprimentos das mangueiras, se as mesmas estiverem maiores de 3 metros irão prejudicar o desempenho da pulsação e consequentemente a ordenha no animal.

Mangueira de pulsação simultânea: é utilizada em sistemas de pulsação simultânea, ou seja, que ordenham os quatro tetos juntos, é importante atentar que essa mangueira possui 9,5 mm de diâmetro interno para acoplar o pulsador diferente das mangueiras finas utilizadas para fazer mangueiras curtas do vácuo que veremos a seguir.

Mangueira fina do vácuo/curta do vácuo: são as mangueiras que conectam as capas das teteiras ao distribuidor de vácuo do coletor levando o pulso para abertura e fechamento da teteira durante a ordenha. O diâmetro dessa mangueira é de 7.2 mm, similar a dupla do vácuo, sendo indicado utilizar uma mangueira termoplástica que não resseque escapando da capa metálica prejudicando a ordenha.

As mangueiras de vácuo devem ser trocadas uma vez ao ano ou quando ocorre algum rompimento precoce na mesma, essas mangueiras deverão estar maleáveis e integras para que o vácuo do sistema não sofra interferência e assim a ordenha seja estável.

Outra situação que pode ocorrer com o passar do tempo e uso prolongado da mesma é que a mangueira pode começar a escapar dos conectores principalmente a dupla do vácuo, pode soltar do pulsador ou até mesmo do distribuidor de vácuo preso junto ao coletor e com isso atrapalhar o processo de ordenha podendo gerar atraso na sessão de ordenha.

Outro fator externo que influencia sobre as mangueiras principalmente nos estados do sul do Brasil e países platinos é o frio, a temperatura baixa atua no PVC podendo enrijecer as mangueiras, principalmente se tiverem com tempo de utilização avançada.

Mangueira do Leite:

As mangueiras de leite são um componente muito importante, é nela que o leite passa após ser extraído do animal, sendo assim é de extrema importância estarmos atento a esse componente, verificando se o mesmo está dentro das especificações e prazo de utilização.

Essa mangueira já possui outras tecnologias em uso podendo variar o material de sua fabricação sendo fabricada em PVC, Silicone e borracha.

Na mangueira fabricada em PVC, o mesmo é especifico para contato com alimentos sendo um PVC especial para sua confecção e possuindo a recomendação de substituição a cada 06 meses, após isso fica difícil manter seu padrão sanitário podendo deixar a mesma enrijecida, quebradiça e com ranhuras internas que podem influenciar no status CBT (Contagem Bacteriana Total).

Isso porque essas mangueiras estão durante a ordenha com leite e após a ordenha as mesmas recebem um protocolo de limpeza, onde possuímos algumas etapas como enxague sem produtos e enxague com produtos químicos com a circulação com detergente alcalino, ácidos e sanitizante que agridem a mangueira e seus componentes.

Imagem interna da mangueira de leite -aumentada:

          

Há novos compostos que nos permitem aplicar novas tecnologias para fabricação de mangueira do leite, como a dupla camada que possui uma resistência maior e mantém pouca luminosidade ao leite. Ela é indicada para utilizar em equipamentos com medidores eletrônicos por infravermelho e tem indicação de utilização de 12 meses.

Ainda é possível utilizar o silicone para confecção desta mangueira onde possuímos uma resistência maior a agressão causada pelos agentes principalmente da lavagem, como detergentes alcalinos e ácidos. Suporta temperatura elevada sem perder suas propriedades e menor tendência ao enrijecimento no frio, possui tempo de utilização recomendável de 12 meses, tendo um custo mais elevado que as demais devido a matéria prima utilizada.

Como saber a vazão da mangueira do leite, qual devo comprar?

As mangueiras de leite possuem diferentes vazões, sendo assim devemos identificar qual é a mangueira adaptável ao meu coletor;

  • Coletores com niple de saída do leite (tampa acrílica) = 16 mm

Utilizar mangueira de leite 14 mm – As paredes são escolha do usuário podendo ser de 5,2 mm ou 5,5 mm.

  • Coletores com niple de saído do leite (tampa acrílica) = 19 mm

Utilizar mangueira de leite 15.5 mm – As paredes são escolha do usuário podendo ser de 5,2 mm ou 5,5 mm.

  • Coletores com niple de saído do leite (tampa acrílica) = 21 mm

Utilizar mangueira de leite 19 mm – As paredes são escolha do usuário podendo ser de 5,2 mm ou 5,5 mm.

As mangueiras de 19 mm são utilizadas somente em equipamentos canalizados linha baixa.

Mangueira de Transferência do Leite

São as responsáveis por transferir o leite do sistema de ordenha para o resfriador, ficam conectadas entre o filtro do equipamento e a boca de entrada do leite no tanque resfriador.

Possui dois diâmetros um modelo de 1”polegada e de 1.1/4” polegada possui uma parede mais espessa de 6,5 mm e não possui aramado são inteiramente lisas como as utilizadas nos conjuntos de ordenha, geralmente se recomenda utilizar mangueira de transferência quando a sala do leite estiver entre 9 a 12 metros, superior a essa distancia e interessante utilizar linha de tubo inox.

Devem possuir os mesmos cuidados das demais e se certificar que a mesma esteja integra e limpa.

Portanto as mangueiras são fundamentais e devem ser consideradas no planejamento de manutenção do equipamento, podendo ser um motivo de transtorno e prejuízo, afetando a performance da ordenha.

A parceria com técnicos e empresas de serviços de manutenção dos sistemas de ordenhas são soluções que evitam possíveis transtornos e prejuízos a fazenda, sendo de grande valia a preocupação com o sistema de ordenha, como um implemento fundamental para a fazenda devendo estar em pleno funcionamento.

Lissandro Stefanello Mioso

Médico Veterinário – CRMV-RS 8457

Consultor Técnico