Inabor no MilkPoint

https://www.milkpoint.com.br/anuncie/novidades-dos-parceiros/efeito-do-tempo-de-uso-da-teteira-103909n.aspx

Por Lissandro Stefanello Mioso, Médico veterinário – CRMV/RS 8457 e Consultor Técnico e Comercial da Inabor.

A teteira é a única parte do sistema de ordenha que está em contato direto com o teto do animal (vaca, búfala, ovelha ou cabra). O desempenho da teteira durante a ordenha é um ponto extremamente importante para economia e saúde animal.

O tempo de uso de uma teteira tem demonstrado alterações em sua composição física, chegando a afetar as características do leite e essa mudança é decorrente em resposta a absorção de óleos e gorduras. Sendo assim, esse texto tenta traduzir a relação entre o tempo de uso de uma teteira e as principais alterações que podem afetar a produção de leite.

Vários trabalhos foram realizados para identificar os principais fatores das alterações com uso prolongado da mesma teteira, entretanto, um apresentado no 39º Annual Meeting Mastitis Council em Atlanta Geórgia (2000) no Estados Unidos da América, demonstra bem os efeitos do tempo de uso prolongado da teteira na produção de leite.

O teste foi realizado utilizando teteiras redondas de borracha, com uma vida útil para até 2500 ordenhas e teve como base um rebanho de 80 vacas em lactação, ordenhadas duas vezes por dia em um equipamento de ordenha com quatro conjuntos. O teste teve a duração de nove semanas, o que totaliza as 2500 ordenhas de vida útil das teteiras. Durante esse período, foram coletados dados na terceira, sexta e nona semana. Os dados eram confrontados com a ordenha de 16 animais que no dia da coleta eram ordenhados em conjuntos de ordenha iguais ao equipamento, entretanto, com teteiras novas, chamadas de controle.

Considerou-se no teste: tempo de ordenha, produção de leite ordenhado, taxa de fluxo do leite, pico da taxa de fluxo do leite, medição do vácuo na cabeça da teteira e flutuações de vácuo.

Portanto, o tempo de uso da teteira nesse estudo apresentou algumas alterações como:

• Queda na taxa do pico de fluxo do leite.
• Aumento das flutuações de vácuo, diminuição do vácuo na cabeça da teteira (câmara do bocal).
• Uma pequena, mas consistente queda na média da taxa do fluxo de leite.

Em alguns estudos mais antigos já comprovavam aumento das flutuações de vácuo e tempo médio de ordenha com o passar do tempo de uso da teteira.

A relação da estabilidade da unidade de ordenha e o vácuo da cabeça da teteira ficou evidente nesse estudo, as teteiras velhas produziram um vácuo menor na cabeça da teteira, sugerindo uma entrada de ar na borda do bocal da teteira.

Durante a inspeção visual da teteira, se observou uma deformação do bocal da teteira que ficou mais evidenciada após a segunda coleta de dados, que com certeza é uma das razões da diminuição do vácuo nessa parte da teteira.

Entretanto, com o uso, a parte do massageador da teteira se tornou elíptico no sentido transversal, sendo que esse formato se tornou bem evidenciado por volta das 2500 ordenhas. Mesmo assim, o nível de vácuo continuou sendo menor nas teteiras velhas, confirmando que a deformação do massageador não chegou a afetar o nível de vácuo na cabeça, tendo a deformação do bocal com entrada de ar uma das principais causas do baixo nível de vácuo na cabeça da teteira.

A alteração na taxa do pico de fluxo do leite é um dos melhores indicadores para determinar a idade de uma teteira, uma vez que apresentou diferenças significativas em seus dados nas coletas durante o teste. A mudança do tempo de duração da ordenha e a flutuação de vácuo também podem ser bons indicadores de idade das teteiras uma vez que apresentaram diferenças significativas entre as coletas do teste.

Esse estudo comprovou que teteiras velhas ou muito usadas, produzem menor taxa de fluxo do leite, aumento das flutuações de vácuo, aumento do tempo de ordenha e menor vácuo na cabeça da teteira, o que irá causar queda dos conjuntos de ordenha.

Outra tendência marcante que pode ser usada como bom indicador para monitorar a condição de uso de uma teteira, é monitorar a taxa do pico do fluxo de leite que irá cair gradualmente com o envelhecimento da teteira, conforme mostrou o estudo.
Para manter um bom desempenho na ordenha, tendo um tempo de ordenha não muito longo, massagem uniforme, rápida e gentil, é de suma importância ter a consciência das trocas desses componentes que possuem uma vida útil pré-estabelecida, é sempre bom observar as tabelas indicativas das teteiras conforme a instrução do fabricante.