Ferramenta Nova Para Gestão na Pecuária Leiteira

Já não é de hoje essa demanda, há muito tempo é um desejo do produtor de leite possuir certa previsibilidade do seu negócio de forma prática e simplificada, sem ter que analisar vários relatórios do segmento que são apresentados em vários meios de comunicação especializados no setor.

O Conselho Paritário Produtores e Indústria de Leite do Estado do Rio Grande do Sul, vêm preparando um projeto que há anos vem sendo gestado e foi apresentado ao Conseleite o plano de criação de um indexador de custo de produção do leite no Rio Grande do Sul, a metodologia que foi apresentada ao colegiado, vem sendo desenvolvida pela Emater em parceria com o Departamento de Economia e Estatísticas do governo do Estado.

A ideia é ter um levantamento robusto com dados coletados em todo o Rio Grande do Sul. O indexador seguirá o sistema de outros indicadores de preço. A expectativa é que, em um primeiro momento, o levantamento seja avaliado internamente e que a divulgação oficial ocorra ainda em 2021. Sendo que a partir de agora a proposição entra em fase de ajustes finos e o índice deverá ser divulgado mensalmente e deverá refletir a realidade do campo.

O índice é capaz de estabelecer, seguindo os níveis de variação do mercado, o poder de compra de uma moeda e segundo os pesquisadores responsáveis pela criação, desde já estão bem estabelecidos os diferentes valores que compõe o indexador, como serviços e insumos que formam o custo ao produtor. Tipo alimentação animal, mão de obra, medicamentos, combustíveis e energia elétrica.

Ainda existirá uma segunda etapa do projeto que será a identificação dos produtos e das quantidades utilizadas no sistema de criação dos animais e coleta de leite para pesquisa dos preços no mercado, a ideia da Emater nessa fase é de aplicar questionários junto a cooperativas e comercio varejistas.

Autoridades representantes do setor lácteo gaúcho comemoram a inciativa e o projeto ainda mais capitaneado por instituições competentes que estão elaborando o índice através de um levantamento técnico e metodológico.

“Esse é um projeto antigo dentro do Conseleite e será mais uma ferramenta, junto com o valor de referência, para que o setor possa avaliar e planejar as suas ações e auxiliar principalmente o produtor que tanto necessita de uma previsibilidade”, colocou o secretário-executivo do Sindilat, Darlan Palharini.

A notícia, informou o presidente do Conseleite, Rodrigo Rizzo, é um grande avanço na compreensão sobre a rentabilidade da atividade leiteira.

Aguardamos os avanços desta ferramenta que certamente será de grande valia ao produtor de leite em seu planejamento.

Boa lactação!

                                                                                    Lissandro Stefanello Mioso

Consultor Técnico/Comercial

Médico Veterinário