Teteiras: Borracha ou Silicone?

Vocês sabem de que materiais são feitos as teteiras/insufladores? Neste texto, falaremos sobre os diferentes tipos de matéria prima para fabricar as teteiras do sistema de ordenha. 

Na Inabor, produzimos as teteiras com dois tipos de matéria prima, a borracha e o silicone. Essa segunda muito estigmatizada com várias dúvidas sobre ela, tentaremos aqui trazer um pouco de esclarecimentos sobre esse tema.

Ambos os produtos, fabricados com matérias primas importadas de primeira linha, 100% atóxico, podendo estar em contato com alimento e um processo produtivo de última geração. Todas as teteiras, antes de sair de fábrica passa por um rígido processo de inspeção de qualidade e o Sistema de Gestão é certificado pela Norma ISO 9001:2015

A teteira de silicone quando lançada no mercado prometia maior durabilidade de ordenhas durando o dobro da de borracha. Bem, isso sim realmente é uma característica das teteiras de silicone em todas as provas o silicone suporta 5.000 ordenhas, ou seja, o dobro do planejado na borracha (2.500 ordenhas), resistência térmica muito superior à borracha (tanto interna relação a água, quanto externa de temperaturas extremas) promovendo baixa irritabilidade à pele do teto, essas são vantagens do silicone em relação a borracha.

Inabor

Contudo, com essa qualidade o silicone apresenta também alguns detalhes peculiares para quem pretende utilizar, é um produto com maior longevidade de uso na ordenha sim, entretanto possui menor resistência mecânica que a fabricada em borracha. Ou seja, mais sensível a quedas, choques, pisões, etc. Por essa característica se requer alguns cuidados na sua instalação e uso, é extremamente recomendável a informação correta acerca do produto.

A rotina de ordenha requer uma série de operações na teteira, durante uma sessão exigindo esforço e resistência do material. Devido a isso é imprescindível não só nas teteiras de silicone como na de borracha se certificar que o encaixe do coletor e da teteira são compatíveis, caso contrário o risco de danificar a teteira no encaixe é alto quando não compatíveis ou até mesmo não permanecer no local caindo facilmente. Na hora da instalação no niple do coletor, usar um detergente, ou até mesmo água, para o encaixe mais suave e sempre se certificar de que o niple onde a teteira vai ser encaixada está bem limpa, fazer a limpeza do coletor antes da instalação do novo conjunto de teteira.

Nesse ponto nas teteiras ocorrem grande esforço e tensão do material que encobre os niples de encaixe dos coletores. Na Inabor já fabricamos a parte do encaixe mais reforçada para resistir a esse tipo de situação, mas, para minimizar problemas neste ponto existe já no mercado a venda reforço do encaixe da teteira, caso necessário, para evitar transtornos com quedas e batida nesse ponto podendo ocasionar o rompimento da teteira de silicone.

Teteira de silicone

Utilizar a capa correta para o modelo de teteira pretendida que promova a tensão e os encaixes corretos tanto dos anéis como do bocal, com isso promovendo a ordenha e massagem ideal nos tetos dos animais.

Atentar ao tamanho do bocal da teteiras, sempre adaptando ao padrão médio dos tetos do rebanho, promovendo encaixe harmônico realizando uma ordenha com a durabilidade das teteiras com êxito. Os demais cuidados estão relacionados aos mesmos das de borrachas certificarem que o modelo e desenho escolhido de teteira seja o mais indicado ao seu padrão de úbere e assim regular o sistema de ordenha para sua máxima eficiência.

Deverá realizar a regulagem do equipamento de ordenha para utilizar as teteiras de silicone já que a força de colapso se difere da borracha sendo assim boa avaliação técnica será de grande importância, pois evitará uma série de intercorrências que poderiam acontecer. Principalmente quando está fazendo migração de teteira de borracha para silicone haverá um tempo para ajuste e adaptação da ordenha, pois como dito o colapso difere sendo mais leve no silicone.

Essas sugestões de atenção quanto ao manuseio de teteira de silicone é para assegurar que o cliente possua uma boa experiência de uso, a mesma entrega o que necessita uma teteira com massagem e extração do leite de maneira rápida completa e suave como deve ser. 

Sempre é sugerida para locais com uma rotina de ordenha constante em estrutura de ordenha dotada de fosso, com extração automática para melhor manuseio dos conjuntos de ordenha. Demais sistemas, como balde ao pé também podem utilizar, entretanto, devem ter mais atenção ao manuseio dos conjuntos de ordenha, para evitar quedas do conjunto, lembrem-se que as teteiras de silicone são mais sensíveis às quedas, isso devido ao seu nobre material, se procuram uma teteira mais resistente, usem as de borracha.

Boa Lactação a todas as fazendas!

Lissandro Stefanello Mioso

Consultor Técnico